Crise na Venezuela afeta animais domésticos e de zoos

A crise econômica e a escassez de produtos básicos que atingem a Venezuela há pelo menos três anos já afetam os animais dos zoológicos do país. 

Segundo a “National Geographic”, nos últimos seis meses, cerca de 50 animais do zoológico de Caricuao morreram de inanição, alguns após ficarem mais de duas semanas sem comer.

A situação se repete em outros zoos, também afetados pelo desabastecimento e pela inflação galopante. Muitos passaram a pedir doações para os animais, que tiveram sua dieta totalmente modificada. Alguns felinos, por exemplo, vêm sendo alimentados com abóboras e mangas.  

Também os animais domésticos foram atingidos pela crise venezuelana, e muitos já foram abandonados devido ao custo de seu mantenimento, como mostrou reportagem da “Folha de S.Paulo”.

Muitos países insistem em construir e manter zoológicos mesmo em situações econômicas e sociais desfavoráveis.

Na região de Gaza, por exemplo, são comuns relatos de animais mortos  devido à impossibilidade de alimentá-los em épocas de conflito.

Na Coreia do Norte, país onde estima-se que mais de um milhão de pessoas morreram de inanição na década de 1990, o regime de Pyongyang recentemente remodelou o zoológico da capital, abrindo espaço para novos recintos. A rede de TV CNN publicou uma galeria de fotos do local. 

OUTRO LADO

O ministro venezuelano Ernesto Paiva negou que os animais do zoo de Caricuao estejam passando por dificuldades. “Nossos animais são muito queridos e são tratados como se fossem da família. Todos eles tem nomes”, disse. A informação é da agência Reuters

Segundo ele, as informações de que os animais estão passando fome fazem parte de uma campanha de “mentiras” contra o governo do presidente Maduro.

 

TÍTULO  Animals Starving in Venezuela Zoos
AUTOR  Elaina Zachos
DATA  28 de julho de 2016
LOCAL zoológico de Caricuao Venezuela
FONTE  National Geographic 
REPOSITÓRIO http://news.nationalgeographic.com/2016/07/animals-starve-in-venezuela-zoos/

 

Espalhe

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *